Tratamento para fibroses

Uma condição que frustra pacientes, especialmente os que passaram por cirurgias de lipoaspiração e abdominoplastia, é o surgimento de fibroses e aderências. Elas aparecem na fase de reparo tecidual (cicatrização) mas não podem permanecer.

O que é fibrose?

A fibrose é formada pela deposição de tecido cicatricial (predominantemente colágeno) excessivo e desorganizado. Se ele não for tratado da forma adequada, leva à formação de retrações teciduais, gerando desconfortos físicos (sensação que a região está “presa”) e estéticos (como os da foto) que trazem insatisfação aos pacientes.
É muito importante aplicar técnicas específicas após a cirurgia para prevenir e tratar essa deposição de tecido desorganizado.

Em quais cirurgias as fibroses são mais frequentes?

As fibroses são mais recorrentes após cirurgias que geram um maior dano tecidual, principalmente devido à introdução de cânulas. É o caso das seguintes cirurgias:

  • lipoaspiração corporal;
  • interferências na região mentoniana (cirurgias na "papada") e axilar (para retirada de gordura próxima às mamas);
  • ginecomastia;
  • lifting facial;
  • e abdominoplastia.

Drenagem linfática manual não trata fibroses e aderências

São recorrentes os relatos de pacientes insatisfeitos com o resultado da drenagem linfática manual para o tratamento de fibroses e aderências. Mesmo após várias sessões de drenagem linfática manual e outros tratamentos com aparelhos estéticos, elas não alcançam o resultado desejado.

Por que isso acontece?

A drenagem linfática não é eficiente no tratamento para fibroses e aderências porque ela tem a função de somente estimular o sistema linfático a reabsorver o edema (inchaço) depositado após o processo cirúrgico. Portanto, ela é muito superficial e inespecífica para tratar a fibrose.
A maioria dos aparelhos estéticos aplicados no procedimento estimulam a produção de colágeno, o que provoca maior deposição da proteína, ao invés da organização dela.

“Senti uma pequena melhora logo após a sessão, mas ao passar dos dias percebi que a sensação de tecido preso e queimação ao fazer alguns movimentos voltou e não melhorou o aspecto estético.”

São comuns os relatos de pacientes que sentiram alguma melhora logo após a sessão. Contudo, após alguns dias, eles sentem maior retração e piora no aspecto estético. Isso ocorre por causa da mobilização do tecido com a aplicação dos aparelhos. Com a nova deposição de colágeno, porém, o desconforto volta a surgir e o problema não é resolvido.

Então, como é o tratamento?

A técnica empregada é totalmente manual, visando a organização do tecido. Ela não é conduzida, portanto, por massagens com movimentos aleatórios, amassamento, compressão (como ocorre na massagem modeladora) ou outros procedimentos que gerem dor. A mobilização manual aplicada promove um deslizamento e organização do tecido (respeitando as características cicatriciais) que modifica a estrutura desordenada do colágeno, reorganizando-o.
No fim da sessão, o paciente consegue perceber a melhora da retração tecidual e o alívio no desconforto, permanecendo assim até a sessão seguinte. A evolução é gradual, sendo percebida sessão a sessão. A maioria dos pacientes recebem alta após 5 sessões.

O tratamento funciona somente em fibroses recentes?

Nos casos de fibroses recentes, sem dúvida, a resposta ao tratamento é mais rápida. Os casos de pacientes com fibroses tardias devem ser avaliados com critério e individualmente para determinarmos a perspectiva em relação aos resultados.

O tratamento é parecido com outros tipos de massagens manuais, como massagem modeladora ou redutora?

Não. As massagens modeladoras e redutoras são técnicas que visam a mobilização tecidual focada no remodelamento do tecido adiposo. Os movimentos empregados são: compressão, amassamento, rolamento, entre outros. As mobilizações aplicadas para as fibroses são totalmente diferentes.
O tratamento para fibrose varia de acordo com a resistência apresentada pelo tecido. Infelizmente alguns profissionais acreditam que fibroses podem ser tratadas utilizando movimentos parecidos com os da massagem modeladora, o que acaba gerando dor e agressão ao tecido cicatricial. Em alguns casos, esses procedimentos equivocados podem piorar ainda mais o aspecto e resistência das fibroses.

A aplicação de aparelhos estéticos (ultrassom, radiofrequência, carboxiterapia, Manthus, VelaShape, entre outros) são eficazes para o tratamento para fibroses?

Como já foi explicado, os aparelhos estéticos atuam estimulando a produção de colágeno, fato que não gera resultados significativos na melhora da fibrose. Eles podem ser indicados e utilizados em outros momentos, como no tratamento da flacidez de pele, caso haja indicação. Recomendamos, contudo, que esses aparelhos sejam aplicados em uma fase mais tardia e com muito critério para não haver comprometimento do resultado da cirurgia.

Ainda tem alguma dúvida? Entre em contato pelo e-mail ou WhatsApp!

Outros serviços