Como deve ser a Drenagem Linfática no pós-operatório?

Quando nos preparamos para a sonhada cirurgia plástica, sempre ouvimos falar na necessidade de realizar a drenagem linfática manual para a recuperação.

Devido à popularização dessa massagem, muitos profissionais têm aplicado diferentes técnicas e as vendem como “drenagem linfática”, fato que gera muita confusão nos pacientes. No pós-operatório, contudo, a aplicação da técnica incorreta pode trazer problemas.

A drenagem linfática é uma técnica de estimulação do sistema linfático que possui movimentos específicos, lentos, superficiais e está muito bem descrita na literatura (há vários artigos científicos quem comprovam a sua eficácia). A técnica correta também não faz utilização de nenhum tipo de veículo (cremes, óleos) para a sua execução. Ela não deve, de forma alguma, gerar dor!

O emprego crescente de técnicas modificadas nos tratamentos estéticos e vendidas como “Drenagem Linfática”, porém, é preocupante. Essas técnicas contradizem as manobras da drenagem comprovada, utilizando muita pressão, fricção e deslizamento sem embasamento científico, não sendo recomendadas durante o processo cicatricial após uma cirurgia plástica. Esse tipo de conduta pode agredir o tecido, desencadeando complicações como aderências cicatriciais, rigidez e tensões nas incisões cirúrgicas, o que não é favorável à recuperação no pós-operatório.

Como saber se a drenagem linfática é adequada?

Ao pesquisar o profissional que irá acompanhar a sua evolução depois da cirurgia plástica, procure saber a formação dele, conhecimento e como funciona a técnica de drenagem linfática a ser aplicada. Para facilitar a sua pesquisa, separamos cinco características essenciais da drenagem linfática:

  1. Não há utilização de cremes ou óleos na execução.
  2. A sensação é confortável em todas as regiões. A drenagem linfática não envolve dor.
  3. Os movimentos são leves e lentos. Movimentos rápidos e fortes são característicos de outros tipos de massagem.
  4. Não há fricção e compressão do tecido.
  5. No fim do procedimento, você sente alívio e sensação de bem-estar.

1. Quando devo iniciar as sessões de drenagem linfática depois da cirurgia?

Para responder essa pergunta, precisamos entender um pouco da fisiologia do processo de cicatrização. Depois do processo cirúrgico, os vasos sanguíneos e linfáticos são danificados e o organismo necessita de um tempo para que ocorra a angiogênese (formação dos novos vasos). Esse processo dura em torno de 7 dias.

Alguns cirurgiões e cirurgiãs indicam o início da drenagem linfática antes mesmo desses dias, por volta do terceiro dia de pós-operatório.

Mas se ainda não houve a regeneração dos vasos linfáticos, por que iniciar o procedimento antes dos 7 dias?

Entenda assistindo o vídeo:

2. Drenagem linfática é tudo que terei que fazer no pós-operatório?

O papel principal da drenagem linfática é reabsorver o líquido depositado após a realização do processo cirúrgico. A técnica não irá tratar outras intercorrências como fibroses, seromas, cicatrização hipertrófica (excessiva) ou rigidez tecidual que podem ocorrer, principalmente, a partir de 15 dias de cirurgia.

Por isso, caso perceba dor ou rigidez capazes de que limitar a execução de movimentos na região, entenda: a drenagem linfática manual não é suficiente para esses casos. Para esses tratamentos, são necessárias técnicas manuais específicas e mobilizações muito diferentes do estímulo gerado pela drenagem.

Cuidado com a quantidade de sessões de drenagem que você realiza no pós-operatório. É comum recebermos pessoas que fizeram um grande número de sessões (entre 30 a 60) e gastaram muito dinheiro com esses tratamentos sem terem melhoras em seu quadro. Mais sessões de drenagem não trazem grandes melhorias nesses casos. Saiba mais sobre tratamentos específicos.

E se estiver sentindo dor com a drenagem linfática?

No processo de pós-operatório, a dor é prejudicial e pode retardar o processo cicatricial. Entenda mais com o vídeo:

Os movimentos realizados são lentos, leves e obedecem o sentido do fluxo linfático — e assim devem ser, já que, se a drenagem linfática for realizada com muita pressão, os capilares linfáticos serão comprimidos, não havendo o efeito desejado. A drenagem linfática não proporciona dor, mas sim uma sensação de alívio durante e após a sessão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *